Aulas de Xadrez

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Xadrez - Erros de arbitragem...

Quando assistimos uma partida de futebol, seja pela televisão ou ao vivo, fica claro que o árbitro, por muitas vezes se equivoca. E isto acontece por vários motivos, entre eles posso citar o mais comum, a dinâmica do jogo. Tudo é muito rápido e a decisão também deve ser.

Foi até pensado em colocar um chip na bola, evitando assim as dúvidas se a bola entrou no gol ou não e favorecendo a marcação dos impedimentos.
Os dois esportes são diferentes. Temos também as competições por equipes. Quatro por quatro. Em alguns países, as Ligas tem competições por equipes com até oito tabuleiros.

Mas a maior diferença com o futebol é a competição individual. A regra é a mesma para os dois tipos de competições. Enquanto em uma partida de futebol, três árbitros de campo e dois auxiliares arbitram e controlam 22 jogadores. Nós, árbitros de xadrez, podemos chegar a ter mais de 250 jogadores ao mesmo tempo e quase sempre com uma equipe igual ou menor de árbitros.
Podemos escolher o sistema eliminatório, que é mais rápido. Mas o mais utilizado em 70% das vezes é o sistema suíço. E para este tipo de sistema, todos os jogadores que iniciam a competição, chegam ao seu final, sendo campeão o, ou os jogadores que alcançarem o maior número de pontos possíveis.

Isto influencia diretamente na arbitragem de cada evento, já que não temos para 250 jogadores, a quantidade de árbitros necessária. Principalmente pelo custo final que alcança.
Para 250 jogadores, seriam 125 mesas. Pelo costume, seria um árbitro a cada 50 jogadores.

Mais ou menos vinte anos atrás, Jogos Abertos do Paraná em Campo Mourão. Passando por uma das mesas da competição por equipes, vejo que um jogador toca em uma peça. Volta seu lance e faz outro. Sendo um lance possível, imediatamente falo para o jogador. A peça foi solta na casa, tem de ficar aonde foi solta. Algumas trocas de opiniões sobre o acontecido e ao final ele pergunta. Calleros, quantas mesas temos nesta competição? Mais de cem, eu respondo. Sinceramente, você tinha de estar passando justamente na minha partida? Acabamos rindo um pouco da pergunta, mas ele concordou em jogar a peça.

Este tipo de pensamento se faz presente em muitos países. Contrariando a regulamentação que nos informa que um jogador com pouco tempo de partida, terá um acompanhamento de um árbitro anotando os lances. O pensamento é, se não temos uma quantidade suficiente de árbitros para cuidar de todas as partidas, não cuidamos de nenhuma. É uma interpretação.

Os Árbitros de Xadrez ou de Futebol erram e antes de tudo, são humanos. Temos de decidir no calor da batalha? Por muitas vezes sim, mas podemos tomar algumas atitudes que um árbitro de futebol não pode. Podemos em caso de dúvida, recorrer à regulamentação escrita. Em alguns casos até trocar de opinião, caso tenhamos certeza de que é a melhor e correta decisão.
No futebol, nunca, ou raramente, veremos um árbitro marcar um pênalti e voltar atrás.

Todos os árbitros de xadrez já cometeram algum erro. E os motivos são os mais variados. O desconhecimento da regulamentação e interpretação equivocada ao atender a partida, autoconfiança exagerada e falta de experiência e sensibilidade em tratar com os jogadores.
Poderíamos dizer que cada partida é um “barril de pólvora”? Certamente, e é por isto que ao atender uma partida, devemos faze-lo da melhor maneira possível, sempre com muita educação.
O erro, pequeno ou grande, importante ou não. Apenas um deslize? Um esquecimento? Um jogador dobrado no emparceiramento inicial? E por aí vai.

O que vou contar realmente aconteceu. Clube de Xadrez São Paulo - SP, Campeonato Brasileiro Absoluto de 1988. Tinha recebido o título de AI no ano anterior e este era o meu primeiro Absoluto como principal. Acredito que tenha sido o último brasileiro com 18 jogadores, dezessete rodadas. Minha esposa quase me jogou para fora de casa após tanto tempo em um só evento.
A CBX me convidou para arbitrar o evento por ser um árbitro de fora do estado organizador, e foi com este evento que acabei pagando o meu diploma de AI.
Como é normal em uma final de brasileiro, tínhamos jogadores fortes e conhecidos, Herman, Rocha, Darcy, Helder, Cícero entre outros. Não me lembro de todos.

Em uma das rodadas tivemos a suspensão de uma partida. O tempo era 2 horas para quarenta lances mais uma hora para 20 com suspensão após 60 lances e seis horas de jogo.
Era uma partida do Tsuboi. Os requisitos para a suspensão foram cumpridos. Entreguei o envelope ao jogador que iria “selar”. Colei o envelope, durex, assinatura, conferencia dos dados. Fui para o hotel descansar com aquele envelope da suspensão, que seria jogada no dia seguinte pela manhã.
Jantei, vi televisão, coca-cola, bolacha. Antes de dormir, por algum motivo dei uma olhada no envelope e fiquei completamente gelado. Faltava alguma coisa. Alguma coisa? Um dos itens mais importantes que deveria estar escrito no envelope. Justamente faltava o tempo da partida.
O que fazer? A esta altura o CXSP já estava fechado. Era uma da manhã. Quase não dormi de preocupação. Primeiro brasileiro como principal e tinha pisado no tomate. Que barbaridade.
Após dar uma olhada nas regras, acabei dormindo. Levantei bem cedo, tomei café e fui para o CXSP. Foi uma eternidade até abrirem a sala. O que vi quando entrei? Que felicidade! A mesa, as peças e o tempo do relógio da competição do dia anterior estavam exatamente no lugar! Não tinham sido modificados. Um árbitro tem de ter um pouco de sorte de vez em quando. Não sempre, mas de vez em quando.
Qual a possibilidade de três pessoas deixarem passar uma informação importante desta? Muito difícil, mas acontece. O que sempre falo é, quando o desastre tem de acontecer, ele acontece.

Para finalizar, o mais importante é não errar, mas se acontecer, o principal é de que maneira absorvemos isto? Sendo árbitros principais, adjuntos ou auxiliares.

sábado, 18 de julho de 2009

Xadrez e Psicología- I



Espera o Xadrez pela Psicologia para sistematizar toda uma série de observações sobre os aspectos psicológicos da luta enxadristica.
A bibliografia do xadrez está cheia de tais vivencias y sua influencia no desenvolvimento da partida. As experiências estão realizadas e o campo continua aberto. O xadrez oferece a possibilidade de moldar a conduta do homem e controlar os resultados de maneira muito peculiar e é do nosso interesse sublinhar tais possibilidades.

A Lasker atribuímos ser o pioneiro em apreciar que por trás da vida da peças está o individuo com seu caráter e que não se pode compreender os segredos da luta enxadristica se deixamos de lado a Psicologia, as inclinações e o caráter do individuo no transcurso desta luta.

Estudou detalhadamente o estilo, os acertos e as falhas de seus oponentes, a fim de utilizar na prática as conclusões obtidas. Em suas partidas temos demonstrações de que não sempre fez os melhores movimentos, mas sim aqueles que resultavam mais desagradáveis para seus oponentes. Estabeleceu que o estilo do enxadrista se espelha no caráter do individuo e demonstrou a verdade de sua tese na prática. Sua intuição humana, para sua época se estendeu como pura sorte ou poderes hipnóticos, por trás de tudo isto, somente um trabalhoso estudo classificatório para detectar as tendências criadoras de seus oponentes. O fruto de seu trabalho passa ao acervo prático e linguagem comum dos enxadristas quando descrevem um estilo e não se supera, independente que seja posicional ou combinatório.
Trata-se de descrever pelo estilo, diversos fatores como a maneira de pensar, o grau de emotividade, as qualidades de sua força de vontade, a atenção e o seu caráter.

Alekhine continuou desenvolvendo as idéias de Lasker sobre a necessidade de conhecer o caráter da personalidade de seu oponente. Foram precisas suas colaborações a respeito e destaca as que faria sobre J. R. Capablanca. Somou novos elementos ao prever a preparação psicológica tanto em sua relação direta ou inversa. Submete a análises os processos psicológi-cos do pensar e do caráter, ainda mais, a influencia de um sobre o outro, a vinculação de um e outro.

Posteriormente, Botvinnik somou importantes informações para criar um sistema de preparação e aperfeiçoamento psicológico, destacando importantes parâmetros, tais como a análise da melhor capacidade de trabalho durante a partida, a predisposição psicológica à competição, etc... Somasse a estas análises a capacidade extraordinária de Botvinnik para transformar as informações obtidas em concretos esquemas de abertura, e na forma de desenvolver a luta em seus aspectos gerais. A preparação especial a situava na luta contra as emoções negativas e se preparava para lutar até o final.

Todos estes dados alcançados por Botvinnik, se apreciam nitidamente em sua longa carreira e poderíamos buscar muitos exemplos nela.


Texto de Lic. Nery Maceiras Moya – Publicado em 20/09/2006 - Ano 7 Nº 320 - Semanário de Ajedrez - NUESTRO CÍRCULO - Director: Arqto. Roberto Pagura - ropagura@ciudad.com.ar - (54 -11) 4958-5808 Yatay 120 8º D 1184. Buenos Aires – Argentina.

terça-feira, 14 de julho de 2009

V Curso de Arbitragem e Organização - e-mail

Prezados Enxadristas e Professores

Estarei iniciando dia 28 de agosto de 2009 o V Curso de Organização e Arbitragem de Xadrez, já abordando a Nova Lei da FIDE que entrou em vigor no dia 01 de julho de 2009.

O curso terá um total de 10 módulos, um módulo por semana, separados por temas.

A cada semana, sempre na sexta-feira, será enviado um módulo/tema, acompanhado de algumas perguntas básicas.

O aluno participante terá o prazo para estudar todo o texto e enviar suas dúvidas até a quarta-feira próxima, quando deverá enviar suas respostas ao e-mail indicado pelo único controlador do curso, AI Carlos Calleros, calleroschess@gmail.com

Todas as dúvidas serão analisadas e enviadas sempre acompanhadas do próximo módulo/tema, podendo, a medida que o curso se desenvolve, serem debatidos os mais variados assuntos, já que as respostas individuais de cada aluno, serão revertidas para todo o grupo.

Aproveite e participe deste curso com duração total de 10 semanas, recebendo todo o material didático em casa sem despesas adicionais ou deslocamento, estudando as matérias no momento em que achar mais conveniente. Após o envio do módulo 09, será enviado o último módulo com a avaliação contendo 20 perguntas.

O propósito do curso é procurar alcançar pessoas interessadas na matéria, que não poderiam participar de um curso presencial, devido aos fatores tempo, custo e principalmente distancia do mesmo.

Será emitido certificado de participação pelo árbitro internacional responsável.

Prazo final para a inscrição 24 de agosto de 2009.

Vagas limitadas. Aproveite e participe, deposite sua inscrição no valor de R$100,00 em nome de Carlos Calleros, Caixa Econômica Federal, Ag. 0369 - conta poupança 013 00422214-7 e informe a data do deposito, enviando o recibo do deposito junto com seu endereço residencial e telefone.
Dúvidas e inscrições, diretamente por e-mail, calleroschess@gmail.com ou pelo telefone 41-9632-4670.

Até lá e um abraço
Calleros

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Regional Sul Brasileiro Escolar - Resultado Final/Fotos


Apresentamos os campeões das categorias do Regional Sul Brasileiro Escolar de Xadrez.

Agradecimentos especiais à Estácio Radial por sua sensibilidade e visão ao apoiar este evento. Às Delegações de Lages e RS por sua maciça participação.
À SME de Curitiba e suas escolas de Curitiba pelo seu esforço e participação.
Ao SESC da Esquina, sempre parceiro e perfeito em sua estrutura e a todos os que de alguma maneira contribuíram para que o evento transcorre-se de maneira tranqüila.

Finalmente, ao Presidente da Confederação Brasileira de Xadrez - CBX, Pablyto Robert Baioco, por sua decisão de reativar tão importante evento.

Obrigado a todos

Carlos Calleros
Comite Organizador
Regional Sul Brasileiro Escolar de Xadrez 2009


Relação de Campeões por série e naipe.

Educação Infantil - M
Victor Rahal Basseto PR Colégio Sapiens E.I.E.F.M.Umuarama

Educação Infantil - F
Maria Eduarda Falcão Rodrigues PR Esc. Mun. CEI Curitiba Ano 300 Curitiba

1º ano - M
Jose Pedro Costa Curta M RS Imaculada Conceição Dois Vizinhos

1ª serie (2º ano) - M
Vinicius Rahal Basseto M PR Colégio Sapiens – E.I.E.F.M. Umuarama

2ª serie (3º ano) - M
Yan Henrique Cordeiro SC Colégio Bom Jesus Diocesano Lages

2ª serie (3º ano) - F
Thassila Strasser SC Colégio Bom Jesus Diocesano Lages

3ª serie - M
Thiago Dobuchak SC Colégio Bom Jesus Santo Antonio Blumenau

4ª serie - M
Brenno Henrique Monteiro PR Esc. Mun. CEI Curitiba Ano 300 Curitiba

3ª serie - F
Samara de Mello Seixas F PR Esc. Mun. Presidente Pedrosa Curitiba

4ª serie - F
Tainara Catiane Buss F RS Inter Porto Alegre

5ª serie - M
Leonardo Fernandes Borges SC Escola Ondina Neves Bleyer Lages

6ª serie - M
Wilhian Bianchi SC E.E.B. Doutora Naya Gonzaga Sampaio Lages

5ª serie - F
Luciane Souza Pujol PR E.E. Dom Pedro II Curitiba

6ª serie - F
Carine Kátia Campestrini SC E.B.M. Denise Christiane Harms São Bento Sul

7ª serie - M
Leonardo de Souza Prallon Sampaio SC Col. B.Jesus São José S.Bento do Sul

8ª serie - M
Henrique Nemeth Jr PR Positivo Curitiba

7ªserie - F
Isadora Braun SC Colégio Bom Jesus Santo Antonio Blumenau

8ª serie - F
Daniele B. Reitor PR C.E. Profª Tereza da Silva Ramos Matinhos

Ensino Médio 1o. Ano - M
Ivan Mesquita Vasconcelos Gonçalves PR CE Benjamin Constant Londrina

Ensino Médio 2o. Ano - M
Rogério Hannemann Júnior SC Col. Bom Jesus São José São Bento do Sul

Ensino Médio 3o. Ano - M
Hugo Zanetti M Caetano PR Colégio Betta Foz do Iguaçú

Ensino Médio 1o. Ano - F
Larissa Moretti Vieira SC Col. Santa Rosa de Lima Lages

Ensino Médio 2o. Ano - F
Naiara de Oliveira da Silva PR Colégio Estadual do Paraná Curitiba

Ensino Médio 3o. Ano - F
Helena Cristina Vieira SC Col. Santa Rosa de Lima Lages



Organizadores do evento com o Presidente da Federação Gaúcha Eduardo Medeiros e o Diretor da Federação Catarinense de Xadrez Marco Zaror


Premiados de 2o. a 6o. lugares na classificação por escolas. 1- Colegio Bom Jesus Diocesano-Lages-SC 70 pontos, 2- Colégio Bom Jesus Santo Antonio-Blumenau-SC 60 pontos,3- Colégio Sapiens–E.I.E.F.M.-Umuarama-PR 49 pontos, 4- Escola Machado de Assis-Porto Alegre-RS 42 pontos, 5- Colégio Santa Maria-Curitiba-PR 33 pontos e 6- Cei Curitiba Ano 300-Curitiba-PR 30 pontos. O campeão Bom Jesus Diocesano, ja estava em viagem.


Prof. Pedro Caetano, representante da Federação de Xadrez do Estado do Paraná - FEXPAR, premiando a categoria 5/6 feminino.


Escola com a maior Delegação participantes. Escola Municipal Presidente Pedrosa-Curitiba-PR - 20 ATLETAS


Representantes da Radial, e a premiação do evento, momentos antes do encerramento do evento.


Match que decidiu o título do Campeão da Categoria Comunidade. Murilo Salustiano, Curitiba-PR x João Leonel Dorneles, Dois Irmãos-RS. Partida acompanhada de perto pelo ex-presidente da FGX, Dr. Aragão.


Equipe de arbitragem do evento antes do início da competição. Ausencia de Rodrigo Dropa na informática e da Profa. Simone Cristo.

Resultados completos pelo site: http://www.copaescolardexadrez.com.br/regional_sul_brasileiro_2009.htm
http://picasaweb.google.com.br/nimzo81/FotosRegionalSulBREscolar2009CuritibaPR#
FOTOS DO EVENTO - Gentilmente cedidas por Henrique Nemeth e Katia Lima, Álbum de fotos de Marcelo Konrath VP FGX.