Aulas de Xadrez

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Novidades nos Regulamentos FIDE - IA A. Bento


Há novidades direcionadas para o jogador UR (sem rating FIDE) que entram em vigor a partir de 1º de julho de 2011:

1) Em seu torneio válido para rating FIDE se o jogador 'unrated'  não pontuar contra jogador com rating FIDE, seu escore será desconsiderado para efeito de cálculo do rating inicial.

2) Se no primeiro torneio também não tiver enfrentado pelo menos 3 jogadores com rating FIDE, seu escore será desconsiderado para efeito de cálculo do rating inicial

3) Nos eventos subseqüentes seus escores - inclusive zero ponto - passam a ser acumulados para formação do seu rating inicial.

4) Nos eventos subseqüentes seus escores mesmo partidas com menos de 3 jogadores também passam a ser acumulados para formação do seu rating inicial.

Novidade no cálculo do rating inicial
Se o jogador 'unrated' fizer mais de 50% dos pontos possíveis em 9 ou mais partidas, o seu rating inicial será igual ao rating médio dos adversários acrescido de 15 pontos, a cada meio ponto que fizer mais de 50% dos pontos.

Então: R(u)=R(a) + 15 (para cada meio ponto acima dos 50%
Exemplo: Se o jogador fizer 5,5  pontos em 9 partidas contra adversários com rating médio igual a 2200, o rating inicial do UR = 2200 +15 (2x0,5).

Outra novidade é a relativa ao coeficiente k para efeito de cálculo de rating de novos jogadores.
Enquanto não tenham completado 30 partidas ... o coeficiente será igual a 30 (ao invés de 25), o que implica em maior alavancagem.

O Regulamento de Torneios FIDE (C06)  também sofreu várias alterações que impactarão competições iniciadas a partir de 1º de julho de 2011.

1) Para torneios oficiais FIDE a hora de chegada deverá ser a do início da rodada. Portanto não serão tolerados atrasos. Perderá a partida quem não chegar na hora programada.
Para outros torneios aplica-se o disposto nos artigos 6.6 a e 6.6 b da Lei do Xadrez. Significa que fica a critério do organizador aplicar tolerância zero ou admitir atrasos desde que fique especificado no regulamento técnico da competição o período de ausência.
Exemplo: Perderá a partida o jogador que não chegar no prazo de 30 minutos a contar do início da rodada. 
 
2) Propostas de empate podem ser aceitas a qualquer tempo se não houver disposição contrária estabelecida no regulamento técnico. Fica a critério do organizador inibir empates.
 
3) O jogador que receber carta convite para participar de eventos válidos para rating FIDE, pode se quiser, mencionar doenças pré-existentes e dieta especial e/ou exigências religiosas.
 
4) O árbitro chefe de competições mundiais e continentais deve ter o título de Árbitro Internacional Categorias "A" ou "B" e na conclusão do evento deve enviar para a FIDE o relatório final.
 
5) O árbitro, ao efetuar emparceiramento de Torneio Suíço FIDE,  deverá usar o programa previsto no regulamento técnico ou aquele anunciado durante o respectivo Congresso Técnico.
 
6) É recomendável que o Comitê de Apelação (AC) consista de presidente, pelo menos dois membros titulares e dois suplentes. Se possível, o Presidente, os dois efetivos e dois suplentes membros do Comitê devem pertencer a diferentes federações.
Os membros do Comitê de Apelação não podem ter menos de 21 anos.
 
7) O jogador não deve comentar sobre sua partida enquanto ela estiver em andamento. (Cabe ao árbitro verificar observância).

Eis os detalhes que deverão ser observados por organizadores e árbitros nos preparativos dos salões de jogos de IRT e ITT iniciados a partir de 1º de julho de 2011. 

O salão de jogos deve ter iluminação de padrão similar àquele que é usado para aplicação de provas escritas.
 

Deverão ser tomados cuidados para que a luz solar não incida no salão durante o andamento de toda a partida.
 

O salão de jogos deve ser carpetado, se possível. Caso contrário pode ser necessário solicitar aos jogadores que não usem calçado de solado duro, para evitar ruído que atrapalhe a concentração.
As instalações de toaletes devem ser cuidadosamente inspecionadas.
 

Num torneio de alto nível deve haver para cada jogador disponibilidade de espaço de pelo menos 4,5 m2.
 

Para evento de menor nível são suficientes por jogador apenas 2 m2.
 

As mesas de jogo devem ser colocadas bem distanciadas das portas.
 

Deve haver uma distância mínima de 2,5 metros entre as fileiras de jogadores. 

Deve ser evitada longa fileira continua de mesas.
 

Os jogadores devem jogar em mesas individuais, se possível.
 

A mesa ideal para uma competição deve ter de comprimento o dobro da dimensão do tabuleiro e de largura de 15 a 20 cm a mais que o tabuleiro.
 

As dimensões recomendadas de mesas são 120 x 80 100/120 x 80/83 cm.
 
A altura da mesa deve ser de 74 cm e as cadeiras devem ser confortáveis para os jogadores.
 

Especial atenção deve ser dada para os eventos de crianças.
 

Deve ser evitado qualquer barulho na movimentação das cadeiras.
 

As condições para ambos jogadores numa partida tem  de ser idênticas. Mas, as condições para todos os jogadores, se possível, devem ser idênticas. 

Tabuleiros em torneios IRT e ITT iniciados a partir de 1º de julho de 2011.

Para Campeonatos Mundiais ou Continentais devem ser usados, se possível, tabuleiros de madeira.

Para demais torneios registrados na FIDE recomendam-se tabuleiros feitos de madeira, plástico ou cartolina.
Em todos os casos os tabuleiros devem ser rígidos.
O tabuleiro também pode ser de pedra ou mármore com casas claras e escuras apropriadas, desde que o árbitro chefe julgue aceitável.

Madeiras naturais com suficiente contraste, tais como bétula, bordo ou cinza europeu em contraste com cor de nogueira, teca, faia, etc., também podem ser usadas para tabuleiros, o qual deverá ter um acabamento neutro, esmaecido, nunca brilhante.

Combinações de cores tais como marron, verde, ou bronze claro e branco, creme, marfim claro, cor de couro, etc., podem ser usadas para as casas adicionalmente às cores naturais.

A dimensão de uma casa do tabuleiro pode ser o dobro do diâmetro da base de peão. É recomendável tabuleiro com casas de 5,5 cm.

Após o término da partida, o árbitro ou os jogadores devem colocar o(s) rei (s) no meio do tabuleiro para indicar o resultado da partida arrumando, em seguida, as peças.

Na próxima coluna, veremos os detalhes que deverão ser observados por organizadores e árbitros no que diz respeito a relógios de xadrez em competições de alto nível.
 

Relógios de xadrez em torneios IRT e ITT iniciados a partir de 1º de julho de 2011.

Se forem usados relógios mecânicos de xadrez deverão ter um dispositivo sinalizando precisamente quando o ponteiro indicar o término do tempo.

Devem ter uma seta cuja queda possa ser claramente observada, de modo a ajudar árbitros e jogadores na checagem do tempo.

O relógio não deve ter brilho que prejudique a visão.

O ponteiro deverá correr tão silenciosamente quanto possível de modo a não perturbar os jogadores durante o andamento da partida.

Se forem usados relógios eletrônicos de xadrez, devem funcionar de acordo com as Leis da FIDE.

O mostrador deve exibir o tempo disponível para o jogador completar seu próximo lance.

Os mostradores devem ser legíveis de uma distância de pelo menos 3 metros.

O jogador deve ter a clara visão de que o relógio está em funcionamento pelo menos de uma distância de 10 metros.

No caso de término do controle de tempo, um sinal no mostrador deve dar a clara idéia de qual jogador ultrapassou primeiramente o limite de tempo.

É exigida uma indicação de 'low-battery' para relógios equipados com bateria ou pilha.
No caso de indicação de bateria/pilha fraca o relógio deve continuar a funcionar sem falhas pelo menos por 10 horas.

Atenção especial deve ser dada ao correto anúncio de término dos controles de tempo.
No caso do sistema de regulagem conhecido como 'delay', o relógio não deve agregar nenhum tempo adicional se o jogador ultrapassar o último controle de tempo.

Em casos de penalidade de tempo, as correções de tempo e do número de lances devem ser executadas por um árbitro dentro do prazo de 60 segundos.

Deve ser impossível apagar ou mudar os dados no mostrador com o simples manuseio.
Os relógios devem conter um breve manual de usuário.

Os relógios eletrônicos de xadrez usados em eventos FIDE devem ter o endosso da Comissão Técnica da FIDE.
O mesmo tipo de relógios deve usado durante todo o período do torneio.
 
AI Antonio Bento é Vice Presidente Técnico da CBX, Árbitro Categoria A, representante da FIDE América nas Comissões FIDE (QC e SPP). Primeiro “Lecturer” FIDE a ministrar seminários em língua portuguesa.

0 comentários:

Postar um comentário